PROJETOS EM ANDAMENTO

 

2019 - atual | Projeto soroprevalência de arboviroses no Distrito Federal

Resumo: Este projeto busca compreender a distribuição espacial das arboviroses (Dengue, Zika e Chikungunya) a partir do Inquérito soroprevalência e percepção da população. De um modo geral, a pesquisa tem o objetivo de compreender a distribuição da Dengue, Zika e Chikungunya no Distrito Federal e os principais fatores de risco associados a estas doenças. Para isso pesquisadores irão a campo visitando domicílios que foram sorteados por meio de critério amostral convidando os moradores à  responderem um breve questionário e participar da coleta de amostras de sangue. O processo será dividido em dois momentos, primeiramente será realizado um questionário de aproximadamente 30 minutos,  as perguntas serão referentes ao conhecimento prévio sobre o mosquito Aedes, sobre as doenças transmitidas por ele, sobre o perfil social e demográfico, bem como o ambiente em que a família residente vive. Em seguida será coletado uma amostra de sangue, tudo realizado diante da permissão do morador. Os resultados da pesquisa serão divulgados para a rede de serviços de saúde e de assistência social podendo ser publicados posteriormente, e os dados pessoais também serão omitidos destes resultados, impossibilitando a identificação.

Mais informações clique aqui.

 

2018 - atual | LMI SENTINELA "Observatório Transfronteiriço do Meio Ambiente, do Clima e das Doenças Vetoriais"

Resumo: LMI Sentinela têm como objetivos: estruturar, fortalecer e sustentar uma abordagem integrada através da Geografia - Meio Ambiente - Clima - Saúde no Brasil, se apoiando na formação, pesquisa e políticas públicas; reforçando a visibilidade internacional das equipes brasileiras que irão trabalhar em parceria nesse projeto. O LMI-Sentinela reúne equipes francesas e brasileiras [IRD (UMR ESPACE-DEV, SESSTIM e MIVEGEC), UnB (Geografia, NMT e FCE) e Fiocruz (ICICT)] que desenvolvem e possuem abordagens e competências complementares e atuam em diferentes contextos institucionais, cuja sinergia permitirá prever um impacto significativo e duradouro através do ensino, pesquisa e política pública.

Mais informações clique aqui.

   

2016 - atual | ZARICS - Zika and other Arbovirus Infections Cohort Studies 

Resumo: O ZARICS é um projeto de pesquisa colaborativo entre o serviço e a academia que visa entender a história natural da introdução do Zika vírus em simpatria com outros arbovírus no Distrito Federal. Neste projeto espera-se um olhar ampliado para o espectro clínico do Zika vírus, observando o resultado desta e outras infecções nos diferentes ciclos de vida. Desta forma, espera-se auxiliar o Sistema Único de Saúde (SUS) a melhor responder este novo desafio, em um cenário com velhos problemas da saúde pública brasileira. Ademais, os pesquisadores, profissionais de saúde da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e estudantes de graduação e pós-graduação e os usuários do SUS envolvidos neste estudo esperam contribuir na construção do conhecimento desta emergência de saúde pública.

Mais informações clique aqui.

 

2016 - atual | APUREZA - Analyses par Télédétection des Relations entre Paysages Urbains, Dengue et Zika 

Resumo: APUREZA is a TOSCA (CNES) project which aims at characterize the interactions between vectorborne disease and humans being through remote-sensing- based mapping.The project is funded by CNES though TOSCA program. Three sites have been selected: a cross boarder site constitued by Tabatinga (Amazonas, Brazil), Leticia (Amazonas, Colombia), Santa Rosa (Loreto, Peru); São Sebastião located in Brazilia Federal District (Brazil) and Tijuca located in Rio de Janeiro (Brazil). The project aims at produce a workflow which generates an updated cartography of Dengue and Zika risk estimation, based both on in situ epidemiological data and remote sensing images exploitation..


 

PROJETOS DE DOUTORADO

 

A) Nayara Belle Nova da Costa

Título:  Migração e saúde: desafios e oportunidades para a integração dos imigrantes.

Resumo: Tem como principal objetivo analisar o acesso aos serviços de saúde pelos imigrantes.

 

B) Vera Lopes dos Santos

Título:  O papel da Análise geográfica na construção do modelo de atenção primária de saúde na região de fronteira da Amazônia: Os territórios indígenas do Alto Solimões

Resumo: Caracterizar o modelo de atenção primária em saúde indígena implementada na região de fronteira do Alto Rio Solimões, Amazonas, na porção brasileira, a partir da análise geográfica, identificando os locais que necessitam de ações para melhoria dos serviços de saúde.

 


 

PROJETOS DE MESTRADO

 

A) Krishna Mara Rodrigues Freire

Título: Dinâmica do fluxo do paciente com dengue para a atenção básica no Distrito Federal.

Resumo: A dissertação tem como objetivo analisar a distribuição espacial e fatores associados às infecções pelo vírus Aedes aegypti no Distrito Federal, com base na dinâmica do acesso aos serviços de saúde por paciente com suspeita de dengue e realizar um mapeamento dos fluxos origem-destino dos atendimentos. 

 

B) Luanna de Mendonça Gomes Campos 

Título: Dengue e outras arboviroses: a experiência do Plano Integrado em Saúde para Prevenção, Controle e Enfrentamento da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

Resumo: A dissertação busca analisar a elaboração e implementação do Plano de Enfrentamento da dengue e de outras arboviroses na Secretaria de saúde do Distrito Federal, com vigência em 2018/2019 tendo em vista aspectos normativos, operacionais e de governança.

 

 C) Rhaila Cortes Barbosa

Título: Veredas para o Cuidado - Fatores associados à causa das anomalias congênitas no Brasil. 

Resumo: A anomalia congênita é definida como toda anomalia funcional ou estrutural no desenvolvimento do feto e decorre de diversos fatores, dentre eles, socioeconômicos, genéticos, infecções, nutricionais, maternos e ambientais. Com o objetivo de identificar as principais características, fatores e determinantes associados a prevalência de anomalias congênitas no período anterior e posterior a emergência em saúde pública no contexto do vírus Zika no Brasil, no qual milhares de crianças foram acometidas com a microcefalia, principal achado clínico da infecção. 

 


 

PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTIFICA – PIBIC

 

A) Gabriel Rodrigues Rocha e Silva

Plano de Trabalho: Análise de discurso e conteúdo da legislação e políticas públicas para o acesso da população migrante e refugiada no Brasil segundo a abordagem WPR.

 

B) Karina Flávia Ribeiro Matos e Ruan Italo

Plano de Trabalho: Mapeamento da distribuição espacial e da situação de saúde da população indígena do Alto Rio Solimões, Brasil.

 


 

PROJETOS – CONCLUÍDOS

 

- DOUTORADO

2019 | Eliane Lima e Silva

Título: Transversalidade das políticas públicas na gestão de risco de inundações

2019 | Yata Anderson Gonzaga Mazullo

Título: Índice de suscetibilidade socioambiental das unidades de conservação do estado do Maranhão.

2018 | Leandro da Silva Gregório

Título: A dinâmica da paisagem e as doenças urbanas : um ensaio teórico-conceitual sobre a paisagem como categoria de análise geográfica na integração entre saúde e ambiente

2016 | Missifany Silveira

Título: Avaliar impactos na saúde no contexto das Hidrelétricas na Amazônia com uso de indicadores espacializados

2015 | Marcus Andre Fuckner

Título: Água e Doença Diarreica Aguda no Brasil

 

- MESTRADO

2019 | Marie Gontariuk

Título: Building Community Resilience in the Favelas of Rio de Janeiro: Is It Possible?

2019 | Amarílis Bahia Bezerra

Título: Série de casos: caracterização da mobilidade e do acesso de crianças com síndrome congênita por Zika e Storch aos serviços de estimulação precoce no Distrito Federal

2018 | Aline Zumckeller Mola

Título: Efficacy of government action against yellow fever in Brazil.

2016 | Ana Júlia Tomasini

Título: Padrões Espaciais do Suicídio no Distrito Federal

2016 | Alexandre Sauma da Silva

Título: Distribuição espacial da hepatite a na região de Sobradinho/DF entre 2007 e 2015

2016 | Nayara Belle da Costa

Título: Migrações Internacionais e Refúgio no Brasil entre 2000 e 2014: uma análise espaço-temporal

2016 | Lucas Garcia

Título: Análise de séries temporais de uso e ocupação da terra a partir de sensoriamento na região do Lago Grande do Curuai, Pará

 

- PIBIC

2018 - 2019 | Karina Flávia Ribeiro Matos

Plano de Trabalho: Mapeamento do acesso aos serviços de saúde pela população migrante e refugiada no Brasil

2018 - 2019 | Gabriel Rodrigues Rocha e Silva

Plano de Trabalho: A relação entre a distribuição espacial do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil e os desastres naturais nos municípios brasileiros

2016 - 2017 | Gabriel Alves Ferreira da Silva 

Plano de Trabalho: Análise da dinâmica espaço-temporal das Unidades de Conservação do Maranhão

2016 - 2017 |Karina lávia Ribeiro Matos

Plano de Trabalho: Mapeamento do cenário de desastres por inundações no Brasil

2015 -2016 | Mariana Santos da Silva

Plano de Trabalho: Análise da fragmentação das paisagens da Chapada dos Veadeiro-GO

2015 - 2016 | Rogerio Vidal de Siqueira

Plano de Trabalho: Levantamento e espacialização dos dados dos programas de combate à dengue no Distrito Federal

2015 - 2016 | Patrícia Pereira Alves Silva

Plano de Trabalho: Mapeamento do suicídio e de suas variáveis no Distrito Federal

2014 - 2015 | Bruna Drumond / Amarílis Bahia Bezerra

Plano de Trabalho: Levantamento e análise das instituições responsáveis pela gestão do território da Chapada dos Veadeiros-GO

2014 - 2015 | Krishna Mara Rodrigues Freire

Plano de Trabalho: Análise preliminar da situação da saúde dos municípios da região da Chapada dos Veadeiro-GO

2014 - 2015 | Mariana Santos da Silva

Plano de Trabalho: Elaboração de mapas temporais das paisagens da Chapada dos Veadeiro-GO

2014 - 2015 | Matheus Alves da Silva

Plano de Trabalho: Levantamento de dados para análise da evolução das doenças transmitidas por vetores no Distrito Federal

2014 - 2015 | Rogério Vidal de Siqueira

Plano de Trabalho: Levantamento e análise de dados climáticos e delimitação de bacias hidrográficas da região da Chapada dos Veadeiros-GO

2014 - 2015 | Virgílio de Faria Bretas

Plano de Trabalho: Análise preliminar do turismo e infraestrutura de saneamento na região da Chapada dos VeadeirosGO

2013 - 2014 | Greison Moreira de Souza

Plano de Trabalho: Análise das variações do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) do sensor MODIS associados à sazonalidade e incêndios florestais no Distrito Federal, DF

2013 - 2014 | Krishna Mara Rodrigues Freire

Plano de Trabalho: Levantamento de dados socioambientais da região da Chapada dos Veadeiros-GO

 

- PIBIT

2018-2019 | Gabriel Bueno Leite

Plano de Trabalho: Sistematização do banco de dados geográfico para criação da Plataforma DAGAS

2018-2019 | Gilson Panagiotis Heusi

Plano de Trabalho: Análise e sistematização das ferramentas opensources e das metodologias de cartografia participativa para a criação de plataforma geográfica na web no âmbito da saúde

2016 - 2017 | Maria Virgínia Pantuzzo de Carvalho

Plano de Trabalho: Plataforma GITES-Brasil - Gestão, Indicadores e Território: Ambiente e Saúde no Brasil. Subprojetos: Protótipo de Plataforma Geográfica na Web

 

PROJETOS FINALIZADOS

 

2016 - 2019 | Gestão, Indicador e Território em Ambiente e Saúde no Brasil - JEAI GITES-Brasil

Resumo: Este projeto estrutura a parceria entre a Universidade de Brasília - UnB/Laboratório LAGAS e o Institut de Recherche pour le Développement – IRD/UMR ESPACE-DEV. Destina-se a realizar pesquisas, formar estudantes e fazer emergir uma rede científica nacional e internacional, promovendo o intercâmbio entre a França, Brasil e África na temática de ambiente e saúde. JEAI GITES-Brasil tem como objetivo desenvolver métodos, ferramentas e indicadores que permitam compreender de maneira integral as disparidades espaciais das condições de saúde com as dinâmicas socioambientais dos territórios. As abordagens da geografia da saúde e das geotecnologias serão utilizados para elaborar os dispositivos de compartilhamento de conhecimentos multidisciplinares e dos sistemas de monitoramento e de alerta para ajudar ao controle dos efeitos dos eventos espaciais sobre a saúde humana.

Mais informações clique aqui.

 

2016 - 2019 | ODYSSEA “Observatory of the dynamics of interactions between societies and environment in the Amazon” (Financiamento H2020-MSCA-RISE-2015 União Europeia).

 

2015 - 2018 | Projetos GuyAmazon III – GAPAM-Sentinela: Guyanefrançaise – Amapá –Amazonas – Malaria: Site sentinelle transfrontalier de l’Observatoire Climat es Santé e SINBIOSE: Systèmes d’indicateurs de biodiversité à l’usage des acteurs : biodiversité terrestre et aquatique (Amazone & Oyapock) (Financiamento IRD, FAP-AP, FAP-AM). (Financiamento H2020-MSCA-RISE-2015 União Europeia).

  

2014 - 2017 | Clima urbano e dengue nas cidades brasileiras: riscos e cenários em face das mudanças climáticas globais

Resumo: O clima urbano desperta especial atenção quando se analisa o campo termodinâmico (ICs - ilhas de calor) pois estima-se (Relatório MCC/Brasil, 2013) que as condições de calor nas grandes cidades brasileiras serão mais intensas que na atualidade. Considerando-se a influencia do clima (calor e umidade) na proliferação da dengue (especialmente do Aedes aegypti) uma das principais doenças tropicais negligenciadas (OMS, 2012) indaga-se, neste projeto, se a associação entre a intensificação das ICs nas cidades brasileiras se fará acompanhar pela elevação dos casos de dengue no país. Para tanto a presente pesquisa objetiva investigar a conformação atual do clima urbano de 10 (dez) grandes cidades brasileiras, e modelizar os cenários futuros das mesmas em conformidade às perspectivas do IPCC (AR5/2013). Ao mesmo tempo serão identificados e analisados os registros de casos de dengue nas mesmas cidades que, ao serem correlacionados com os cenários futuros do clima urbano, permitirão definir cenários para a dinâmica desta doença no futuro das cidades do país.

 

2013 - 2017 | LMI OCE "Observatório das mudanças ambientais"

Resumo: O Laboratório Misto Internacional OCE (Observatório das mudanças ambientais) constitue o fundamento institucional de uma colaboração científica entre o Brasil e a França. Suas atividades são orientadas para a inovação cientifica, para a ajuda à decisão na área de gestão do meio ambiente e dos recursos naturais e aà formação. Ele permite ampliar as colaborações pela realização de projetos conjuntos e de dar segurança às redes de parceria entre equipes e instituições à longo prazo. O Laboratório funciona como um instituto federativo de pesquisa implicando treze laboratórios (ou sub-redes) no Brasil e na França.

Mais informações clique aqui.

 

2012 a 2016 | Dinâmica e evolução das doenças transmitidas por vetores e suas relações com as políticas públicas de Saúde no Distrito Federal - RELAIS - Regional Epidemiological Landscape Amazon Information System

Resumo: Compreensão dos efeitos da mudança na paisagem em grande escala sobre a evolução de patógenos e vetores de doenças. Abordagem multi-escala e multidisciplinar integrando as ciências sociais, a epidemiologia, a parasitologia/bacteriologia/ virologia, a ecologia, a entomologia médica, a genética e as ciências ambientais. Construir um quadro científico internacional para o estudo da saúde ambiental na Amazônia e produzir novos conhecimentos científicos. Participar do Observatorium brasileiro de saúde ambiental na região Amazônica.

Para acessar clique aqui.

 

2013 a 2015 | Paisagem e Indicadores de Qualidade Ambiental para o apoio a gestão da Saúde

Resumo: Projeto interdisciplinar associando duas instituições de pesquisa e de desenvolvimento, a Universidade de Brasília (UnB) e o Instituto de Recherche pour le Developpement (IRD). Seu objetivo é de contribuir às iniciativas brasileiras no âmbito de políticas em saúde ambiental desenvolvendo um método inovador de análise das situações ambientais e sanitárias adaptadas às regiões pobres, precárias e marginais do Brasil, em especial no Cerrado e na Amazônia.

Com este fim, o projeto propõe construir uma bateria de indicadores capazes tanto de produzir um diagnóstico do estado do território e das políticas de saúde pública como de avaliar o estado do meio ambiente. Os métodos propostos são concebidos para integrar os protocolos de tratamento dos dados estabelecidos pelo Observatório Nacional Clima e Saúde do Brasil.